quinta-feira, 24 de novembro de 2011

"...aQueLe BeijO..."

Pensei em escrever algo bem bonito para o dia de ação de graças. Mas nada me ocorreu. Então contarei algo que aconteceu comigo hoje. Um homem mandou um beijo para mim. É raro esse tipo de coisa acontecer comigo, ainda mais vindo de um homem como aquele.
Saí rapidamente do carro da tia que deu uma carona. Corri até o ponto de ônibus pois o ônibus que eu queria pegar vinha logo em seguida. Mas antes, o ônibus da Apae parou e entrou uma menina nele. Todos lá dentro começaram a bater palmas e gritar cheios de empolgação. Achei maravilhosa aquela recepção. Fiquei observando a menina que foi até o motorista para cumprimenta-lo. Foi então que percebi que outro homem me observava sorrindo.
Ele tinha Sindrome de Down e deveria ter vinte e poucos anos. Estava com o rosto bem junto ao vidro da porta da frente. Quando meu olhar encontrou o dele
"uau"! ele sorriu ainda mais e acenou para mim freneticamente. É óbvio que eu sorri também e devolvi o aceno com a mão. Ele ficou ainda mais empolgado e levando a palma da mão à boca me mandou um beijo. Eu fiquei maravilhada com a espontaneidade dele e levando a palma da minha mão à boca devolvi muitos beijinhos. Acredito que se ele pudesse teria saído do ônibus para me abraçar, pois ficou tão emocionado que vibrava dando pulinhos, ele não se acreditava que eu havia correspondido seu carinho. E eu estava realmente feliz com aquele beijo.
Tudo isso aconteceu tão rapidamente que quando dei por mim o ônibus dele já tinha partido, e eu ainda estava com um sorriso de alegria tão grande no rosto que quase esqueci de entrar no meu ônibus.
Recebi um presente inesperado, de alguém que não conheço e me senti tão cuidada e amada. São essas surpresinhas do dia-a-dia que me fazem tão grata. Por isso rendo graças todos os dias.
Queria escrever algo bonito hoje e no fim das contas acho que consegui. Não por minhas palavras, mas por causa da beleza do beijo que aquele homem me mandou. Aquilo sim é que foi belo e preencheu mais ainda meu coração de gratidão.

=]

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

.a.ViDa.É.uMa.CoNsTânCia.

A vida é um constância de alegrias e tristezas
Um dia a gente sorri, um dia a gente chora e no outro dia também

A vida é uma constância de dias que parecem iguais
Os relógios marcam os mesmos segundos de um tempo conceitual

A vida é uma constância de uma esperança insistente
Uma promessa presente que é muito mais que ambages

A vida é uma constância daquilo que se escolhe
Ou choro por não ter sapatos ou agradeço por ter pés

=]

terça-feira, 1 de novembro de 2011

"...NaDa SaTisFeiTa..."


Já faz dias que ando me arrastando. Como se as pernas estivessem mais pesadas que o normal, como se os ombros carregassem uma carga adicional. E meus pés não deixam mais pegadas, mas sim um rastro de linhas paralelas pelo chão.
Nada parece me satisfazer de fato. Nenhum abraço é suficientemente forte. O nó na garganta não vai embora. E palavras ensaiadas de motivação não me convencem. Meu olhar fica perdido e não sei o que responder para os poucos que percebem e querem saber o que está acontecendo.
Não me levem a mal quando digo apenas "não sei". Acontece que não consigo transformar em palavras faladas o que sinto, não consigo verbalizar esse tempo da minha vida. Escrever ajuda. Mas nem tudo deve ser publicado.
Não convém expor certas coisas que necessitam ser processadas apenas no silêncio do casulo.
Porque este tem sido um tempo de casulo sim. Há uma mudança acontecendo. Ainda não entendo. Nem sei se quero entender. Desejo apenas que a transformação seja completa.
Estou nada satisfeita. Não está tudo bem, mas sei que tudo está contribuindo para o bem. Pois confio que Deus me ama independente da situação que vivo. E saber que sou amada por Ele é meu maior consolo.
Vou vencendo um dia de cada vez, sabendo que em cada dia uma parte de mim se vai e outra é reconstruída. Não tenho vontade de chorar ou desanimar. Não, nada disso. Quero apenas solitude. Um tempo de silêncio, sem relógio, sem pressa, sem cobranças. Um tempo para rever algumas coisas, entender algumas mudanças, fazer outras escolhas, passar a limpo meus rascunhos. Não uma vida inteira assim. Só um tempinho naquele lugar onde não precisarei me arrastar. Onde poderei parar como quem realmente está em um casulo.
E depois? Não sei. Talvez o voo da borboleta fale por si só. Mas isto, depois. Agora, silêncio. Silêncio e muitas palavras no papel.

"Bom é ter esperança e aguardar em silêncio a salvação do Senhor. Bom é... assentar-se solitário e ficar só."
Lamentações 3. 26-28

=]

domingo, 23 de outubro de 2011

"...07 dE SeTembRo..."


Foi no dia 07 de setembro que eles chegaram. Não me pegaram desprevinida, mas mesmo assim me surpreenderam. Vieram cheios de alegrias e coisinhas que amo: família, amigos, abraços, cartinhas, ligações e... eu já disse amigos?
Parece que demoraram décadas para chegar, e realmente demoraram tudo isso. Mas ao mesmo tempo chegaram tão rápido que quando percebi: "Ops! Vocês já estão aqui?" e não havia mais nada a fazer.
Então fiz o que de melhor poderia ter sido feito. Sorri sinceramente, agradeci a Deus, vesti a melhor roupa (emprestada) que eu tinha, convidei meus amigos para comer batata frita e sorvete, imprimi poemas e fiz um varal literario para que os amigos lessem e levassem para casa, tirei fotos, dei muita risada, presenteei meus convidados com uma carta personalizada para cada um, chorei de emoção, ganhei presentes, assoprei velinhas e por fim... os recebi com muita gratidão e alegria!
Carinhosamente os chamei de "Meus 15 anos + 10" e eles não poderiam ter sido melhores. Eles encontraram uma Adelita feliz com a chegada deles e desejosa de que venham mais uns três como eles. Acredito, inclusive, que eles é que ficaram felizes com a Adelita viva que encontraram, mais que isso, ficaram felizes por terem encontrado a vida da Adelita.
Por que é isso que deve ser celebrado em um aniversário: não apenas a data de um nascimento, mas a vida que é continuada com alegria.
Meus 25 anos! Foi no dia 07 de setembro que eles chegaram!


=]

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

"...A ForÇa dAs áGuaS..."


Chovia. Chovia e chovia. Na madrugada do dia 08 de setembro, uma quinta-feira a enchente veio com tudo, foi a maior no alcance e volume das águas nos útimos
27 anos em Blumenau-SC. O rio chegou em 12,80 metros a cima do nível normal, ninguém devia sair de suas casas, muitos ficaram sem água e a luz também foi cortada em alguns lugares. O centro da cidade ficou todo inundado e muitos bairros também ficaram sem nenhum tipo de acesso. Ao menos que se tivesse uma canoa é que se podia fazer algo além de esperar, porque não tinhamos como chegar até algumas pessoas. Alguns estavam em lugares onde havia risco de desmoronamento e muitas pessoas já nas primeiras horas de enchente estavam em abrigos.
A defesa civil informava toda hora as previsões de niveis do rio aí a gente ia sabendo como seria e tínhamos como nos preparar. Mesmo assim muita gente não teve como retirar as coisas de suas casas em tempo. Aqui em casa tínhamos reserva de comida porque fomos nos preparando, mas no mercado as filas eram enormes, meu pai ficou mais de 1 hora na fila para comprar uma caixa de leite. E eles limitavam a quantidade de alimentos por pessoa, sem contar os lugares que aumentaram os preços dos alimentos abusivamente. Foi uma sensaçao horrível. Parecia que estávamos em guerra, que o mundo iria acabar, sem água, sem luz e acesso limitado a comida.
A chuva parou após alguns dias e o sol veio com força. As águas foram baixando mas a cidade ficou cheia de lama e lixo. Parecia mesmo que havia acontecido uma
guerra. Foi um processo muito demorado até o rio voltar ao nivel normal e a cidade também. Muitos faziam mutirão para ajudar na limpeza das ruas, casas, estabelecimentos comercias, escolas, etc..
Aqui em casa ficamos seguros, apesar de que não tivemos acesso a muitos lugares, mas não é área de risco. Nosso bairro ficou alagado, mas nossa casa não foi atingida. Mesmo assim orem por nós, principalmente pelas famílias que estão desabrigadas e para que Blumenau tenha ânimo para se erguer mais uma vez. Pois tenho certeza que a força das águas não foram maior que a força dos blumenauenses. Recomeçar!

domingo, 14 de agosto de 2011

.uMa.CarTa.PaRa.Um.HoMem.Em.QuEsTãO.

O sol nunca ficou vermelho antes de uma catástrofe, era mentira.
Fugi bem antes de deixar que as borboletas em meu estômago voassem alto, é verdade.
Sou completa, só posso me entregar por inteiro.
Não tenho esperança de que você me responda. Homens não escrevem cartas hoje em dia.
Sou eu que preciso entender as coisas que carrego em meu coração.
Meu amor é uma "futilidade" que seu dinheiro não pode comprar.
Você quer meus lábios, mas não meu coração. Só que eles andam de mãos dadas.
Por que você tem medo de ser amado?
Quem sabe se o sol ficasse vermelho as borboletas não o teriam alcançado?
Quem sabe a catástrofe foi permitir que as borboletas voltassem a ser lagartas?
Algumas perguntas ficarão sem resposta.
Pois se todos os homens forem covardes assim, então vocês não passarão de discurso, de predadores, de seres solitários.
E todo amor que uma mulher de coração nobre como eu poderia sentir por vocês, se transformará em um único sentimento digno de tanta fraqueza masculina: pena!
Sabe o que diferencia um homem de um menino?
Não é apenas o que ele bebe.
Mas sim, a capacidade que ele tem de assumir um compromisso.
Também já fui menina, mas estou me tornando mulher. Às vezes não sei o que quero, mas sei bem o que não quero, e não quero apenas um adolescente com dinheiro.
Mas apesar de tudo, te quero bem.
Contudo, não se suje com suas próprias migalhas.
Não fica bem para o homem que você quer ser.


(1208011)


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

"...beSouRos, soRveTes & soNhoS aLheiOs..."

E de que a vida é feita? Tem coisas que admiro. Tem coisas que gosto muito. Tem coisas que desejo ver acontecer.
Não que eu saia caçando besouros por aí, mas alguns insetos me perseguem. Besouro, borboleta, joaninha, grilo, abelha... por aí vai. Já fotografei vários bem de perto e confesso que admiro alguns insetos, repito, alguns insetos, eles têm uma beleza que me encanta e aprendo muito com alguns deles. Fico feliz quando eles me visitam.
Mas são poucos que compartilham dessa admiração comigo. Entendo perfeitamente. Nem todo mundo tem que gostar do que gosto. Eu, por exemplo, gosto muito de sorvete. Faça frio ou calor, sol ou chuva, inverno ou verão, sorvete é sempre minha sobremesa favorita. Fico feliz quando me presenteiam com sorvete, de flocos então, nem se fala. Vê se pode? Sorvete embrulhado com fita vermelha? Bizarro mas perfeito.
É uma coisa que seria interessante de ser ver. Mas tem coisas que desejo muito mais ver acontecer. Tenho um primo que mora nos EUA há 12 anos. Essa semana falei com ele. Ele é de Lages-SC e contou que outro dia um amigo dele o presenteou com pinhão, quarenta pinhões congelados, que meu primo cozinhou e comeu devagarzinho: "Roí um por um, pra eles não terminarem tão rápido", ele me contou. Me deu uma saudade. Faz 12 anos que ele não volta para o Brasil, faz 12 anos que ele não vê a mãe. O dia que eles se reencontrarem e se abraçarem novamente será a coisa mais emocionante e linda que desejo ver. É um sonho deles esse reencontro. É meu sonho ver esse sonho alheio acontecer. Fico feliz só de pensar como será maravilhoso esse dia!
Tem coisas que admiro: besouros lindamente intrometidos. Tem coisas que gosto muito: sorvetes bizarramente embrulhados. Tem coisas que desejo ver acontecer: abraços ardentemente esperados!
E mesmo tão distintas, estranhas e almejadas são de coisas assim - como besouros, sorvetes e sonhos alheios - de que a vida é feita!


=]

segunda-feira, 25 de julho de 2011

"...oS inComOdaDos qUe sE reTirEm?..."


Cafézinho? Não, obrigada.
Como lidar com as coisas que a gente não gosta mas que a gente tem que conviver mesmo assim? Café, som alto, amendoim, trânsito devagar quase parando, piadas de mau gosto, invasão de privacidade, o lixo espalhado na calçada por causa daquele gato (de novo), e tantas outras coisas.
Bem, cada caso é um caso, cada situação é uma situação. Mas pra mim, me ajuda muito não ficar de mau humor e levar numa esportiva, evitar o que posso, e tentar encontrar alguma coisa boa naquilo que não posso evitar.
Quando era mais nova eu não suportava sequer preparar o café por causa do cheiro, tomar muito menos. Mas tentei associar o café a alguma coisa boa, porque eu queria aprender a fazer café mesmo assim.
E assim é. Tem muitas coisas que não podemos aceitar, que vão contra nossos princípios e caráter. Mas, neste post me refiro a coisas pequenas que podem, no máximo, causar uma grande irritação. Mas se são pequenas não vale a pena se estressar tanto com elas, não é?
Os incomodados que se retirem ou o que incomoda é que deve ser retirado? Na minha opinião, nem uma coisa nem outra. Pois nem tudo é como a gente quer, ou melhor, quase nada é como a gente quer. É bem mais sábio aprender a conviver com essas coisinhas numa boa. Afinal, às vezes oque incomda não é o fato de não gostar do trânsito lento, por exemplo. Mas sim, o fato de ficar com o orgulho ferido por não ter o poder de evitar aquilo que incomoda.
Ainda não tomo café, obrigada. Mas agora, amo acordar bem cedinho com o cheiro de café sendo feito na cozinha, isto significa que minha mãe está em casa. E a presença dela me deixa plenamente feliz.

=]

segunda-feira, 18 de julho de 2011

..."sEm VerGoNhiCe"...


Dia desses alguém me parabenizou por um trabalho, na frente de outras pessoas. Fiquei com vontade de me esconder de tanta vergonha. Sou tímida, mesmo que não pareça e pra mim, às vezes é difícil lidar com elogios ainda mais quando são públicos. Fico sem saber o que fazer, me constranjo e então agradeço sinceramente.

Elogios são importantes, com certeza, e fico feliz por eles. Mas, sem dúvida, melhor que receber um elogio, é merecer um. E isto não é tão fácil. Porque a questão não é agradar os outros, mas fazer com amor aquilo que você tiver que fazer.

Parece engraçado, mas às vezes tenho vontade de ser uma “sem vergonha”. Sem vergonha de receber um elogio, sem vergonha de abraçar quem amo, sem vergonha de sorrir e chorar, sem vergonha de errar e pedir perdão. Neste sentido, quero ser cada vez mais sem vergonha. Sem medo, sem precisar ponderar.

Termino com o conselho de um amigo, desejando que isto seja verdade cada dia mais em minha vida: “Adelita, guarde-se o suficiente para se expor de maneira eficaz.” Sei que há momentos que devo me esconder e momentos que tenho que me expor. Mas que antes de tudo, eu não tenha vergonha de encarar nenhum desses momentos e que com amor eu viva e aceite cada um deles a seu tempo.


=]

quarta-feira, 29 de junho de 2011

penSandO: "...o Que É o naDa?..."



Todos estão andando pelas ruas fingindo estarem distraídos.
Estão buscando alguma coisa. Procuram desesperadamente, mas ninguém corre. Ninguém sabe o nome daquilo que procura.
Há um falsa sombra debaixo dessa árvore, não há como se esconder.
As crianças, sim, estão distraídas. Elas não procuram alguma coisa, a não ser pedrinhas naquele mato que alguns ainda chamam de grama.
Ninguém escolhe a cor dos próprios olhos. Mas todos podem escolher com que cor verão o mundo.
Porque na verdade, ninguém está distraído. Todos estão com os olhos bem abertos... Procurando.
E estas palavras não estão simplesmente soltas ao léu. Estas palavras estão contando uma história... E ela começou.
Preste atenção.


=]
(151209)

sexta-feira, 10 de junho de 2011

"...PaRabénS MãE!..."

Hoje não poderia deixar de parabenizar minha mãe preciosa por seus 51 anos de vida!
"Obrigada por ser tão indispensável pra mim, mãe!"


=]

sexta-feira, 3 de junho de 2011

.PaLeTa.dE.CoReS.

Pinta, pinta, pinta,
pinta tinta no pincel.
Tinta, tinta, tinta,
tinta tela e pincel.


Faz um risco, um traço,
um contorno, aquarelar.
Mistura, mexe a tinta,
pinta tudo sem parar.


Preenche tudo, faz de novo,
com forma, vida e cor.
Põe ali tua inspiração, transpiração,
trabalho e suor.


Inventa e cria,
com poesia faz aparecer.
O desenho que não existia,
faze-o nascer.


Veste a tela de ti mesmo,
tapa dela a nudez.
Depois de expostos, tu e ela,
começa outra vez.

=]





(190610)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

.CasTeLo.dE.RuíNaS.

Sem pensar escrevo
Ninguém poderia ler meus pensamentos
Nem eu poderia escrevê-los
A parede está desmanchando
sobre minha cabeça
Ecos vazios do lado de fora
Agora, livre, vou embora
Choveu e no chão eu vi
o céu coberto de margaridas
Sem escrever penso
E o que virá, já foi
Destroços ao chão,
ruínas do meu
castelo de ruínas.
Finalmente.


=]

segunda-feira, 23 de maio de 2011

"...Um BreVe DeSaBaFo...Ufa!..."


Acordei um pouco frustrada hoje. Com algumas crises dentro de mim. Perguntas sinceras e dúvidas específicas. Isto porque projetei algumas coisas para 2011 e eram tantas intenções... Agenda aberta, caneta na mão e lá fui eu "organizar" minha vida.

Tenho vivido, sim, muitas coisas que não foram programadas. Coisas boas e ruins, mas nada que não vá além dos acontecimentos corriqueiros da vida. Mas não tenho vivido muitas coisas que eu havia "agendado". Sei que Deus está no controle de tudo, Deus não está indiferente à minha vida. Deus é um Pai presente.

Minha frustração está em mim mesma. Comecei a rever algumas escolhas. Tenho me conduzido de forma muito passiva em certas coisas que necessito ter voz ativa. Acho que fiquei cansada no meio do caminho e peguei o atalho do comodismo. Rua sem saída!

Em minha pequena retrospectiva desses primeiros 5 meses de 2011 vi uma Adelita meio que "desfocada". Como isso me desespera! Não quero, definitivamente, continuar assim!
Registro aqui meu desabafo e meu compromisso em mudar. Que os próximos 7 meses sejam de conquista, de trabalho árduo e perseverança. Afinal, não me serviria "lamentar" sem me posicionar.
Lembro-me agora de uma das palavras que mais me impactaram no AcampeTeatro 2011, em Curitiba-PR, em que participei neste fim de semana (20 à 22 de maio). É uma palavra simples, mas é exatamente o que preciso para que muitas coisas na minha vida voltem para o caminho que se perderam, para que eu ajuste o foco e para que essa frustração seja apenas por hoje: disciplina!
Não disciplina no sentido de correção ou castigo, mas no sentido de manter uma disciplina, como quem faz exercícios físicos constantemente. Eu preciso me disciplinar em certas coisas com urgência, para alcançar certos objetivos. Do contrário a frustração será uma constância, isso não tolero!
Que a disciplina sim, na minha vida, seja uma constância!



=]

sexta-feira, 29 de abril de 2011

.pOeTizaNdoOoOo.

"A vida não tem rascunho,
só se vive uma única vez.
E cada um escreve de próprio punho,
a historia do que já fez.


E tudo que já foi escrito
conta muita coisa, é verdade!
Mas o fim da história não é dito
pelos anos, nem pela idade.


E cada dia pode ser,
para aquele que é grato,
um novo começo.
Pois é preciso entender
que, de fato,
a vida não tem preço."


(Em comemoração aos 53º aniversário de meu pai, Nilson Siqueira, em 13 de abril de 2011)




=]
(130411)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

"...Uma bReVe ConFisSãO..."


Me lembro desse pôr do sol. Isso foi em Curitiba em maio de 2010. Lembro, não apenas porque fotografei, mas por causa do que senti. Serenidade. Às vezes olho para essa foto e tenho vontade de voltar lá. Mas aí percebo que, na verdade, não quero voltar ao lugar físico, mas sim quero aquela serenidade novamente. Aquela calmaria.
Não que eu não esteja em paz. Acho que nunca estive tão bem. Mas confesso que estes têm sido dias agitados, muitas decisões pra tomar, muita coisa para colocar no lugar, e algumas de forma literal mesmo - minha estante de livros que o diga.
Nisso tudo, percebo, que não posso andar com picuinhas, coisas não resolvidas, desentendimento e problemas pendentes por muito tempo. Confesso, mais uma vez, que sou tentada a sempre deixar pra depois. "Amanhã eu vejo, depois eu resolvo, semana que vem eu ligo, no final de semana eu dou um jeito" e por aí vai, sempre adiando. Procrastinadora. Não quero mais ser procrastinadora. Tenho vencido isso todos os dias. E sei que lutar contra isso é o que me leva àquele lugar de serenidade.
Me acalma saber que cada coisa está no seu lugar, que estou resolvendo os conflitos e não administrando-os. E me conforta mais ainda quando eu sei que, se alguma coisa está fora do lugar, é por pouco tempo. Porque nem tudo está ao meu alcance. Mas o que está, que se resolva, o quanto antes.
Respiro fundo, cada livro em seu lugar: serenidade!



=]

quinta-feira, 7 de abril de 2011

.pOeTizaNdoOoOo.

"Tenho andado distante e errante
como que achando encontrar
amor em outro lugar.
Mas olha só...
Fiquei ainda mais carente,
me perdi no procurar.

Deixa-me voltar, já amanheceu.
Me satisfaça com Teu amor nesta manhã.
A esperança não morreu.

Que os anos de dor sejam compensados
pelo tempo de alegria.
Deixa-me voltar, já é dia.


Dá-me dois sorrisos
para cada lágrima que derramei.
E a noite ficará para trás.
Pois ainda não morrerei.

Há esperança!

E por Tua bondade encontrarei outra vez
o amor que perdi.
Por Teu perdão e Graça renovo minha aliança.
Confio em Teu Amor!"


=]


(040111)

segunda-feira, 28 de março de 2011

"...Era Uma VeZ..."


Esta era a foto do blog no iniciozinho. A foto mudou, o layout também. Mas a essência é a mesma, o desejo de escrever e a intenção de compartilhar um pouquinho do "meu mundo" ainda é a mesma.
Algumas coisas no blog mudaram, e não apenas nele. A gente muda, a vida é assim. Vamos nos adaptando, passando por mudanças, mas que elas sejam para melhor. E que a essência daquilo que nos move, motiva e impulsiona a crescer não mude.
Quando revi essa foto comecei a lembrar de quando iniciei o blog, há dois anos. Vivi tanta coisa depois disso que parece ter se passado vinte anos. Mudei, sofri, chorei, voltei, recomecei, sorri, caí e levantei. Mas percebi que sou a mesma, mesmo não sendo mais. Parece uma contradição, mas na verdade é um paradoxo. São verdades diferentes que se complementam.
Ainda há coisas boas e ruins que permanecem em mim, há coisas boas e ruins que não permanecem mais. Contudo, é tudo isso junto que me ajuda a perseverar, buscando ser melhor e me parecer mais com Jesus.
Às vezes, também, é importante voltar. Voltar ao início, voltar onde tudo começou, relembrar cada conquista, agradecer por tudo que foi logrado e nunca, jamais, desprezar os pequenos começos.
Para se ter uma árvore grande, bonita, forte, que nos presenteie com uma sombra agradável para o viajante cansado, com frutos saborosos para o faminto, com troncos fortes para o menino subir e se aventurar ou para a menina pendurar seu balanço, com flores coloridas, belas e vibrantes para a donzela apaixonada, com galhos repletos de folhas para o pássaro fazer seu ninho, é preciso apenas uma semente. Uma unica semente!
O importante é desfrutar o processo, o "enquanto isso", mas também é muito bom não esquecer de como tudo começou, o "era uma vez...". Pois um passo a cada dia e chegamos lá, no "felizes para sempre"!
Mas para isso, com humildade e sabedoria, mantenha a essência do que é bom.


=]

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

.pOeTizaNdOoOo.

São muitas coisas
que gostaria de fazer,
muitas pessoas que
queria conhecer,
muitos lugares para ir.

Mas não posso me prender
naquilo que virá a ser.

Preciso, hoje, no agora:
simplesmente viver.



=]

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

"...SuRPreEnda-Se!..."


Não, não passarei uma receita de cupcake.
Quem me conhece sabe o quanto gosto de doces, chocolates e coisinhas do tipo. E lá estava eu num dia desses, em uma bela tarde ensolarada, com muita vontade de comer uma coisinha diferente e até com mau humor por conta disso, vê se pode?! Mas não saí pra comprar, procurar, fazer, nem sequer comentei sobre meu desejo. Fiquei apenas com aquele pensamento de: "Hummm, que vontade!".
Então alguns minutos depois meu pai chegou em casa e disse: "Trouxe algo que você vai gostar"! Gostar?! Uau! Ele trouxe esses cupcakes da foto. Eu amei! E o que foi mais surpriendoroso é que ele nem sabia do meu desejo e trouxe justamente uma "coisinha diferente". Fiquei tão feliz que até fotografei aquele momento como forma de gratidão.
Mas o que quero dizer com tudo isso é que são esses detalhes, essas "coisinhas" diferentes, essas surpresas diárias que fazem a vida ter prazer, que fazem a gente sorrir. Meu pai não precisou muito para alegrar meu coração, bastou apenas um "mimo" como ele gosta de dizer.
Coisas simples podem se tornar muito legais e ajudar a descomplicar um dia chato.
Basta estarmos dispostos a fazer a diferença na vida de alguém e não apenas esperarmos até que as grandes coisas aconteçam para sermos felizes.
E você? Já surpreendeu hoje?

=]