quarta-feira, 29 de outubro de 2014

"...NoiTe dE ChUvA..."


É madrugada.
Não consigo dormir.
Chove lá fora e a janela está aberta.
O gotejar da chuva no telhado é como música. Boa música. Fazia semanas que não chovia.
Há lágrimas em meus olhos e elas desaguam em meu corpo pálido. A fonte de lágrimas nasce em meu coração angustiado.
Meu coração também está entregue...
Cada lágrima lava a minha alma e ela fica mais limpa, mais leve, mais leve.
Tomo banho de lágrimas. Banho quente e salgado e purificador.
Purificador.
Cada lágrima purifica a dor.
Fica a dor?
A gente sempre fica cansado e dorme depois de chorar muito. Somente o país do sono recebe bem os que vagueiam pelo país das lágrimas. Por quê? Não sei. É um mistério.
Há uma janela aberta em minha alma e ela se chama: olhos. É por ela que minhas lágrimas fogem, mas sou eu que acabo ficando livre!



=]

terça-feira, 30 de setembro de 2014

"...sObRe RoSas & ReLaCioNaMenToS..."


Sim! Foi o tempo e a qualidade do tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão especial, tão única, tão tua. 
Então não faça sua rosa chorar logo após tê-la feita sorrir por ter dito à ela o quanto ela era especial. Não a faça querer ficar em silêncio logo após tê-la feito ouvir você cantar para ela. Não faça sua rosa murchar mesmo depois tê-la regado com carinho. Não a faça se sentir desprezível como um espinho logo depois de tê-la feita se sentir delicada como uma pétala.
Não faças assim com tua rosa. Desta maneira deixas tua rosa confusa, magoada. Seria um desperdício se tua rosa se fechasse, não é mesmo? Afinal, você esperou tanto para que ela se abrisse e mostrasse suas belezas e mazelas. Agora que isto aconteceu não deixes que ela queira se reservar mais uma vez.
Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão especial, é o tempo que dedicas à tua rosa que faz você ser tão especial para ela
Por favor, tu é responsável por tua rosa. Tua rosa quer ser única para ti. Então, não a deixe desfalecer com palavras que machucam, com o silêncio que fere, com a indiferença que mata.
Lembra? Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. És responsável por tua rosa. E ela pediu para te dizer que te ama muito para aceitar que qualquer revoada de pássaros selvagens, que qualquer disparate de palavras não pensadas, que qualquer derramar de lágrimas de decepção e nem que tuas próprias atitudes te levem para longe dela.
Tua rosa já não é mais tão orgulhosa, tão vaidosa, tão teimosa. Porque ela quer ser melhor, quer ser especial, quer ser única, quer ser tua, quer ser a preferida.
Afinal, você suportou as lagartas com tua rosa, e agora não desfrutará com ela das borboletas?

terça-feira, 24 de junho de 2014

"...NoVo TemPo..."


Já faz algum tempo que não passo por aqui. Meus últimos registros, textos  e pensamentos não têm sido compartilhados. Às vezes é preciso guardar.
Guardar o coração, os sentimentos, os sonhos. Às vezes é preciso guardar e aguardar. 
Aguardar o momento de compartilhar o que ficou guardado. Aguardar para falar, mostrar, dividir, expor. Aguardar os processos, não pular as etapas, completar os ciclos. 
Também é preciso discernir o novo tempo. E hoje, esse tempo novo chegou. O que ficou guardado será compartilhado. Ainda que aos poucos, é preciso dar à luz ao que estava há tanto tempo sendo gerado. 
É preciso discernimento para guardar, paciência para aguardar e humildade para compartilhar. E e muita dedicação para desenvolver os três.




quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

"... ThE AnGeL's VoiCe..."


Ao acordar, nesta manhã, assisti este vídeo e a voz dela foi a primeira coisa que ouvi. Foi como fazer meu espírito despertar, minha alma se sobressaltar, meu coração acelerar, minhas emoções correrem para um abrigo seguro.
Conheço muitas pessoas que cantam: amigos, amigas, parentes. A maioria é possuidor de uma voz afinada e, dentro de suas características, gostosa de ouvir. Mas a voz dela é única. 
Não sei explicar, nunca soube. Não é o timbre, a textura, o brilho, a afinação. Não. É algo que vem de dentro da alma dela. Mais que um dom, mais que saber cantar. Ela sabe tocar. Tocar meu coração com sua voz. 
Já ouvi muitas vozes lindas, mas a voz dela é uma das poucas que ouço, e sempre que ouço, me emociona, cura alguma parte de mim ainda não resolvida e principalmente, o que é muito raro acontecer quando ouço alguém cantar, a voz dela me dá vontade de viver.
Não sei explicar. Nunca soube. Mas a voz dela me faz querer levantar de onde estou prostrada e correr, voar, viver! A voz dela me faz querer ser livre!
Não é porque a conheço bem que digo essas coisas, na verdade nunca disse estas coisas antes nem pra ela e nem pra ninguém. Mas hoje, pela manhã quando ouvi a voz dela, foi como ressuscitar, depois já ter o corpo enterrado e cheirando mal. Foi como ser adornada de enfeites e atavios para o encontro nupcial depois de passar pela tristeza da viuvez. Foi como carregar nos braços o filho tão desejado, depois da certeza da infertilidade. Foi como ser lavada, vestida e recebida de volta depois de ter me distanciado da casa do pai e ter me perdido em caminhos que conduziam à perdição.
Nesta manhã, ouvir a voz dela foi como recobrar a memória e lembrar que estar viva é o melhor presente que eu poderia ter recebido nesta manhã e em todas as outras que antecederam o dia de hoje.
Mais que a voz de um anjo, a voz dela é a voz um de ser humano, tão humano como eu e qualquer outro humano sujeito a dores, sofrimentos, decepções. Contudo, ela canta. Enquanto canta, se torna livre. Canta a dor que se foi, mas celebra a cura que é vindoura e, eu creio, duradoura.
Mais que um anjo, que um ser humano, que uma mulher, que uma cantora. Eu, felizmente, tenho o privilégio de chamá-la de irmã e amiga. E, para mim, o nome de sua voz é: bálsamo.
Não sei explicar. Nunca soube. Nunca saberei! Só posso agradecer.

Carpe Diem!