quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

.NoiTe.

É um portão
que me abraça
Enquanto minha alma
embala
a escuridão 
que carrego
em meu peito.
Solidões amigas
de um abismo
sob minha cabeça.
Desamparos que me
cercam.

Mas eu luto
(constantemente)
Tento.
Tudo
está sucumbindo.

É um portão
que me abraça
Depois que descubro
que
sou órfã ilegítima.

Minha herança é
um coração livre.

(1702013)

sábado, 23 de fevereiro de 2013

"...DeiXe-mE iR, Pai..."


Quando nasci, eu era mais que um bebê gordinho e fofo que você passou a chamar de "xuxuzinho". Quando nasci eu também ganhei asas, pai, como todo mundo ganha. Mas tem gente que passa a vida inteira sem usar as asas que têm e sem sequer saber que as possui. Nós não, pai. Nós escolhemos voar.
Precisei me lançar do confortável ninho, pai. Somente assim se aprende a voar: se arriscando. Então, deixe-me ir, pai.
Sei que é difícil pra você se despedir, não estar por perto, cuidando, protegendo, me segurando no colo. Mas, pai, ainda assim você é o meu pai, não se preocupe. Aprenderei a voar direitinho. Tenho belos exemplos. Você e a mãe voam muito bem. E eu sempre vou amá-los pra sempre.
Contudo, a gaiola não suporta mais minhas asas. É mais seguro lá dentro, eu sei, o risco de morrer é menor, verdade. Mas é injusto ser alimentada na boca quando, com minhas asas, posso voar e levar alimento para outros. Preciso também aprender com outros. Por isso, deixe-me ir, pai.
Ainda precisarei de você, sua ajuda, seu amor, seu humor, sua sabedoria. Você é o melhor homem do mundo; o homem mais engraçado, inteligente, amoroso, atencioso que conheço. Meu herói. Ainda precisarei tanto, tanto de você. Tanto precisarei que, exatamente agora, estou precisando. Preciso que deixe-me ir, pai.
A saudade sempre nos acompanhará, mas a esperança do reencontro também. Lembra, pai? "Não podemos segurar aquilo que quer e precisa partir". Preciso ir com sua benção, pai. É difícil pra mim também. Mas chegou a hora. Sabíamos que isto aconteceria antes ou depois. E foi agora.
Estou me desapegando de muitas coisas do meu passado e estou dando uma chance ao meu futuro. Por isso, no hoje, deixe-me ir, pai. Este é o meu presente.
Tudo poderia ter sido tristemente pior. Nós sabemos disso, pai. Eu poderia não estar mais aqui. Mas aqui estou. Ainda que partindo, estou aqui, estou na vida. Estou viva.
Apenas vivos vem e vão, chegam e partem, se despedem e se reencontram, pai. Apenas vivos se arriscam e usam as asas que têm. Pois só se pode voar enquanto se está vivo. Estou viva. Então, deixe-me ir, pai.
Sei que posso voltar sempre que for necessário, pois já encontrei meu lugar no seu coração e no coração da mãe. E esse era meu maior sonho, pai. E agora, esse lugar é pra sempre meu, não importa onde eu esteja.
Mas por agora, preciso ir, com todas as suas recomendações, orientações, cuidados e amor. Mas, eu vou. 
Por isso, deixe-me ir, pai.

Carpe Diem!

(0409012)

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

.vai.menino.


Vai menino 
caminhando, 
e nem olhes aqui pra trás.
Não perde
teu tempo comigo,
já, já serás um rapaz.

Deixe-me aqui
onde é meu lugar.
Não tenho mais
como te importunar.

O caminho
te reserva
muitos desafios.
Alguns mais cálidos
outros 
mais sombrios.

Não voltes teu olhar
para as pegadas
que somem.
Olha pra frente,
já,já serás
um crescido homem.

Então, vai.

Vai menino
caminhando,
deixa-me aqui
sozinha.
Segue em frente,
o caminho é excelente.
E eu não passo
de pedrinha.



sábado, 16 de fevereiro de 2013

"...ainDa..."

Às vezes, você precisa apenas seguir caminhando.
Não deve parar pra pensar se vai chover ou se a noite está chegando ou o quanto seus pés doem. Não. Nada disso. Pois essas coisas poderiam te fazer parar por um tempo ou, pior, poderiam te fazer não prosseguir nunca mais.
As circunstâncias poderiam te imobilizar, o medo te faria recuar e sua dor poderia te fazer retroceder. Isso seria ainda mais cruel, depois de você já ter percorrido um longo caminho.
Às vezes, você deve fechar os olhos e sentir o vento no rosto enquanto caminha devagar. Você não precisa se desesperar, correr, se apressar.
Basta apenas não desistir de si mesmo.
Ainda que com lágrimas, dor, solidão, às vezes, você precisa apenas seguir caminhando.
E em frente.

Carpe Diem!