segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

"...aPeSar dE TudO..."


Apesar das lágrimas por respostas que ainda não vieram, estou aqui. Estou aqui como há muito tempo não estava: quebrantada. Me perdi e me encontrei, me perdi novamente e agora estou a ponto de me encontrar...
Preciso de algumas certezas, ainda tenho sonhos a realizar, ainda escolhas a fazer, ainda pessoas por abraçar. Ainda...
Estou insatisfeita pois ainda quero conquistar. Mas sou grata por utodo que já logrei. Afinal, poucas pessoas são tão ricas como eu. Poucas pessoas têm tesouros como os meus. Poucas vivem este presente.
Aproveito cada dia como se fosse o último, pois sei que um dia será mesmo. E em cada dia continuo escrevendo cartas mesmo sabendo que elas não serão respondidas. Mas isto é mais por mim que pelos outros, preciso lançar minhas sementes.
Agora não há mais volta. Apesar de tudo Ele me ama e eu estou completamente iludida pelo amor que Ele tem por mim.

Carpe Diem!


=]

(0912011)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

.SabRiNa.

"Se meu coração falasse, ele diria o quão grato é
por ser abraçado com seu amor.
Se meu coração falasse, ele cantaria como ele é
feliz por ter sua amizade.
Se meu coração falasse, ele diria que não se sente digno
por ser tão agraciado com sua vida.

Sabe? Meu coração não fala... Então falo eu.

Há 3 anos, quando você se aproximou eu quiz me afastar.
Quando você me ouviu eu quiz me acalar.
Mas quando você me chamou de amiga, eu te amei pra sempre.
E amo.
E amarei.
Apesar de mim mesma, apesar desse meu silente coração.

=]


(140112)

domingo, 15 de janeiro de 2012

"...No LiMiTe da CoMpLaCênCia.."


Por um momento, ele e eu, olhamos para o mesmo horizonte. Experiência e aprendizado. Sabedoria e incostâncias. Histórias contatadas por ele, sonhos cultivados em mim. Tenho aprendido a aprender com pessoas como ele.
Cada dia que passa tenho entendido que não é pra qualquer pessoa que a gente conta nossos sonhos, que a gente escreve cartas, que a gente abre o coração, que a gente lê nossos poemas. Fazer uma dessas coisas por "hábito" apenas seria como jogar pérolas aos porcos. Há pessoas e momentos pra se fazer cada uma dessas coisas. É preciso saber quando compartilhar os segredos do coração e entender quando ficar em silêncio. E silêncio não é apenas ficar quieto, mas é saber quando ouvir.
Tenho aprendido também que não preciso emprestar meus ouvidos para aquilo que não me acrescenta, não me edifica, não me torna melhor. Não sou obrigada a ouvir quem não me conhece me dando conselhos que não pedi a respeito de coisas que nunca compartilhei. "Cada um tem aquilo que tolera". Eu já não tolero mais certas inconveniências. Não tenho mais disposição para atender aos desejos dos outros para agradar. Estou no limite da minha complacência, se é que ainda tenho alguma.
Então não preciso perder tempo com quem quer apenas me julgar, sem me conhecer, sem saber minha história, sem camihar comigo mais uma milha.Tenho referências pra seguir. Exemplos pra admirar. Pessoas que não abriram mão de seus princípios, apesar de dificuldades. E é com elas que quero aprender mais e mais a cada dia. Pessoas que valem a pena investir tempo, amizade e carinho. Pessoas que me amam mesmo não concordando com tudo, mas que me aceitam como sou. Não preciso mendigar a aceitação de estranhos, nem de conhecidos.
Enquanto algumas pessoas estão ocupadas me julgando e condenando, pego um banquinho e me assento com aqueles que, mesmo por um momento, podem olhar comigo para o mesmo horizonte. Pois o que importa pra mim é aprender com quem, realmente, tem algo para ensinar.
Que em 2012 a gente poupe esforços para tentar agradar todo mundo e invista em quem realmente vale a pena.
Carpe Diem!

=]

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

"...DePoiS dO InFeLizMenTe..."


Infelizmente, até as mais belas flores murcham um dia. A beleza delas é efêmera. É por isso que precisamos plantar novas sementes todos os dias. Preparar a terra, plantar, adubar, regar. Deixar que venha o sol e a chuva.
Infelizmente, não podemos evitar as lágrimas. Mas elas são necessárias também. Pois regam o coração permitindo que uma nova esperança brote e até mesmo outras lágrimas. Aquelas parcimoniosas lágrimas de alegria.
Felizmente, como diz um poema "se não houver tempestade a terra não florescerá". Sem chuva não nasceriam novas flores, sem flores não haveriam borboletas, sem borboletas não poderíamos sonhar, eu, ao menos, não poderia.
Felizmente, têm certas coisas que jamais devemos aprender a sentir e falar sem que nossos olhos estejam marejados e nosso coração comovido.
Carpe Diem!

=]