quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"...Que LeGaL!..."



Olá! Recebi um selinho de qualidade indicado pela Rosangela do blog: http://butterflyofblog.blogspot.com/
Agora preciso indicar 9 blogs, avisar seus titulares, e falar 9 coisas sobre mim. É isso! A baixo uma lista com os 9 blogs que recomendo, vale a pena conferir!
E agora 9 coisas sobre mim:
1- Amo gente.
2- Minha família é demais!
3- Sabrina e Nina são as melhores amigas do mundo.
4- Chocolate é indispensável na minha vida.
5- Sorvete é minha sobremesa favorita.
6- Vou casar dia 11 de setembro de 2011(?!).
7- Quero ser atriz.
8- Durmo com 3 travesseiros e o favorito se chama Dobrinha.
9- Tenho escoliose lombar.
Dá pra rir em alguns tópicos né?! Hehehe! Super abraço gente!

=]

domingo, 21 de novembro de 2010

"...BoRboLiTa..."


Mais uma vez recebi a visita de uma borboleta. Essa era bem grande e diferente. Com as asas fechadas era marrom com desenhos circulares que lembravam olhos, meio "séria" para espantar os predadores. Com as asas abertas era azul e vibrante, convidativa, nem parecia a mesma borboleta. Mas era.
Assim, fiquei a pensar nas pessoas e em mim mesma.
Quantas "metamorfoses" passamos na vida!
Mas mesmo essas mudanças não nos engessam. E em circunstâncias diferentes agimos de formas tão distintas que às vezes até nos perguntamos: "Eu disse isso? Eu fiz isso?"
Em determinados momentos estamos sérios e decididos, em outros estamos distraídos e casuais. E isso não é ser fingido, nem ter duas caras. Isso é ser sincero, é ser o que se é, sem medos, sem máscaras. Em cada circunstância, teremos uma ação-reação. Mas isso não muda quem somos, ao contrário, isso deve mostrar ainda mais nossa autenticidade.
Com asas abertas ou fechadas, uma borboleta é sempre uma borboleta. Mesmo que a borboleta perca suas asas isso não fará com que ela volte a ser lagarta, porque ela já se tornou borboleta, e com asas ou sem elas, nada poderá mudar isso!
(...fotos, faces, asas de uma mesma borboleta...)

(((Asas fechadas)))

(((Asas abertas)))



=]

terça-feira, 16 de novembro de 2010

.o.MuRo.dE.FeLiPe.

"É meio termo...
Não é sim,
não é não
É metade do caminho...
É acompanhado,
é sozinho...
É indecisão."

=]

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

"...iuPiii!...Ele mE aMa!!!..."


Aí está um pedacinho do meu local de trabalho: a sala de aula. Como muitos sabem, sou professora de educação infantil. Meus ilustres alunos-cabecinhas-pensantes têm 2 anos de idade. Cada dia de trabalho é uma aventura, cheia de desafio e descoberta, para eles e para mim.
Entre tantas coisas que me fascinam nos meus alunos uma delas é a falta de preocupação em acertar. Isto não quer dizer que eles não tentam, não choram até que consigam algo, e que não queiram aprender. O que quero dizer é que eles não ficam preocupados, não ficam se remoendo, não passam noites em claro pensando naquilo que não fizeram direito, não se cobram, nem se culpam. Eles apenas perseveram. E ninguém precisou lhes ensinar isso, porque eles simplesmente não estão preocupados em acertar tudo para agradar alguém.
Eu entrego o papel e o giz de cera e explico: "Vamos desenhar círculos, fezendo voltinhas assim igual uma bola." E eles fazem do jeito deles. Depois perguntam: "Tá bonito profe?" Mas não esperando uma aprovação, eles simplesmente querem um consentimento para deixar a "hora da atividade" e partir para a brincadeira. Porque eles sabem que a "Profe Ade" vai ficar super orgulhosa e pendurar tudo no "Mural de Artes" de um jeito ou de outro. Para as crianças isso basta.
Não sei em que momento exatamente perdemos essa despreocupação e ficamos atordoados com as técnicas, formas, teorias e métodos. Não que isso seja errado, o errado é ficar preocupado com isso, andar ansioso por conta disso, cobrar de si mesmo uma perfeição inatingível.
Porque para Deus sempre seremos seus filhos, independente de erros e acertos.
E como todo pai orgulhoso, Ele simplesmente pendurará nossos rabiscos, que chamamos de desenhos, na parede e dirá orgulhoso para quem quiser ouvir: "Foi meu filho(a) que fez!"
Como não se sentir seguro com um Pai assim?
Concluo com as palavras do poeta Davi, desejando profundamente que hoje descansemos no amor dAquele que nos cuida sem pressa: "Tu és, ó Deus, o meu alto refúgio, o Deus que me ama". Salmo 59.17
=]

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

.VoLToU.

Como eu quis que seu abraço não terminasse
ou que você me abraçasse outra vez.
Seu perfume ficou na minha roupa
e eu sorri quando percebi isso.
Como eu quis que sua mão tocasse a minha
ou que você as segurasse sem pressa.
Você olhou para mim e sorriu
e eu sorri e te olhei também.
Como eu quis que você não se fosse
ou que eu pudesse ir com você.
Foram poucas as suas palavras mas,
para mim, elas foram minha música.
Como eu quis que você me notasse
ou que minha presença te fizesse feliz.
Me sinto rídicula escrevendo esse poema,
mas hoje, quando te vi, eu percebi as borboletas.
Eram bem poucas.
Mas estavam no meu estômago!
=]
(011110)