quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

.NoiTe.

É um portão
que me abraça
Enquanto minha alma
embala
a escuridão 
que carrego
em meu peito.
Solidões amigas
de um abismo
sob minha cabeça.
Desamparos que me
cercam.

Mas eu luto
(constantemente)
Tento.
Tudo
está sucumbindo.

É um portão
que me abraça
Depois que descubro
que
sou órfã ilegítima.

Minha herança é
um coração livre.

(1702013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário