sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

"...Meu LaDo dE FoRa TamBém ChoRa..."


Ás vezes "chove" dentro de mim. Mas nesses últimos dias tem "chovido" pra fora também. Isso porque cansei de ficar segurando o choro, forçando o sorriso e de ter sempre uma postura positivista diante de tudo. Cansei! Hoje resolvi chorar mesmo, gritar mesmo, colocar tudo pra fora. Chega de falsos sorrisos!
Eu também sou gente, ora essa. Fico estressada, irritada, impaciente e de mau humor. E não! Não é TPM. É frustração mesmo! Parece que tudo dá certo pra todo mundo e eu vou ficando pra trás. As coisas não andam, não fluem, não prosperam e eu me pergunto: o que estou fazendo errado? Deve ser tudo! Só pode!
Acho que nunca escrevi um texto tão desanimada e triste. Mas, é assim que me sinto e achei que seria bom me expor. Sei que terão aqueles que pensarão "O que é isso, menina? Não perca a fé!" mas podem pensar o que quiserem. Sejam livres! No fim das contas não são os outros que pagam minhas contas. E as pessoas a quem eu devo satisfação certamente não lerão esse texto.
Meu lado de dentro está chovendo, chorando, gritando, tempestando, se é que esta última palavra existe. E agora, meu lado de fora também chora. Estou em um furacão, uma turbulência, maremoto, tormenta e todo os semelhantes e sinônimos possíveis.
Estou cansada, frustrada, estressada, desanimada. Eu não estou me aguentando! Não estou dando conta de mim. Sim, infelizmente, às vezes eu não me suporto, não me tolero, não me sustento, não me amo. Enfim... Na verdade vivo numa crise de amor e indiferença comigo mesma. É uma guerra interior. Estou me concentrando pra não surtar, travar, despencar, esmorecer.
E não precisa deixar nenhum comentário ou palavra de incentivo, não, por favor. Eu só precisava "vomitar". Colocar tudo pra fora. Desabafar. Chorar. "Falar" mesmo. 
Agora com a vista um pouco menos embaçada quem sabe eu consiga ver a próxima curva da estrada e seguir meu caminho. Contudo, e apesar de tudo, estou lutando para que retroceder não seja mais uma opção.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário