terça-feira, 15 de junho de 2010

.a.CaiXa.CoLoRidA. (PARTE III)

(...continuação)
Com a chave ela abriu a caixa. Naquele momento ela viu quanta coisa havia ali. Umas eram lixo. Podridão. Cheiravam mal. Outras precisavam ser recicladas, reaproveitadas, refeitas. E algumas necessitavam ser usadas com urgência. Sem mais nenhuma espera ou exigência. Eram coisas demais para serem organizadas. Muita confusão, muito conflito, muita informação. Era tudo muito velho e muito novo ao mesmo tempo. Doía demais e era ao mesmo tempo libertador. Abrir a caixa colorida não somente a poupou de um suicídio egoísta como a fez ter uma perspectiva boa do que era viver. Mesmo com tantas coisas para arrumar, tudo já estava sendo consertado de certa forma.E agora, enquanto ela esvazia a caixa seu coração também é preenchido. O vazio é a possibilidade de coisas novas. O preenchimento é a certeza de que elas já estão chegando. Por isso o vazio da caixa e o conteúdo do coração têm o mesmo nome, e isto é o que ela passou a chamar de EsPeRanÇa.
=]
Em 27 de outubro de 2009.

3 comentários:

  1. OI, a paz...este texto é seu? Muito lindo o que você escreve, cheio de metáforas hein... a além do mais, se pode ter o entedimento que seja adequado a(s) necessidade(s) que tenha(mos)...
    Na verdade a vida é como uma caixa de pandora...novidades, frustrações outros...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!

    Sim, o textO é meu. QuandO publicO algO no blOg que não é de minhá autoria sempre cOlocO os créditOs para o autOr.

    Um abraçO!

    =]

    ResponderExcluir
  3. Não é facil mesmo, quantos ainda estão a procura dessa chave, pois não a consegue encontrar. Você e seus textos inspirados, muito show tudo isso. Parabens! Continui escrevendo, você é simplismente genial pra escrever. Um beijo.

    ResponderExcluir